close

Quando cheguei aqui, não sabia nada do tal Yosemite National Park. Como sou muito Maria vai com as outras, quando meus amigos me perguntaram se eu queria ir pra Yosemite no feriado, já disparei: Vamooo!

Eu não sabia do que se tratava, mas também não queria ficar sem rumo no feriado. O povo foi se agilizando e teve um dia que tive que participar da organização do roteiro. Não tinha muito o que decidir, na verdade. Só ver certinho quais trilhas a gente ia fazer.

Trilha? Oi? Eu não faço trilha. Eu não gosto de trilha. Eu tenho trauma de trilha (assunto para outro post). Em resumo: eu não sou obrigada a fazer trilha! Daí começou a baixaria: mas o que tu vai fazer em Yosemite, então? Dormir, comer e hibernar. Aaah, mas em Yosemite só tem trilha pra fazer, não tem mais nada.

Vista do Glacier Point. Nem cinco minutos de caminhada

É por causa desse chororô que tive que ouvir que tô aqui escrevendo: Calem-se todos! Eu fui pra Yosemite, não fiz uma santa trilha e foi lindo! Aceitem!

Depois desse desabafo, vamos ao que interessa!

Cascata, rochedo, arvoredo. Um pouco de neve só pra enfeitar. O Yosemite National Park leva a gente numa viagem pelas mais variadas formas da natureza. Entre sequoias gigantes, longos túneis de árvores e, para os sortudos, alguns ursos, o parque passa facilmente a sua mensagem de por que é um Patrimônio da Humanidade.

É só andar mais um pouquinho que tem um lago, uma montanha e uma diversidade de plantas e animais. São 302,687 hectares de história, preservação e muitas atividades ao ar livre. Yosemite recebe por ano uma média de quatro milhões de turistas.

Trilha, passeio de bicicleta, de carro, rafting, escalada e até esqui. Yosemite oferece de tudo um pouco. A ideia de que Yosemite só oferece diversão para quem gosta de fazer trilha é uma grande bobagem. Têm muitas opções. É óbvio que para os amantes de trilha o Yosemite National Park é a mesma coisa que um bolo de chocolate com Nutella e brigadeiro pra mim. Cada um com suas paixões.

Nem um minuto de trilha. Só estacionar e posar para a foto

Quando visitei Yosemite, o que mais ouvi falar foi sobre o Half Dome, uma rocha com mais de 1.400 metros de altura. Uma trilha maluca, que precisa de preparo físico, mental, emocional, e uma dose de insanidade. A Deborah Veras subiu o Half Dome, foram nove horas de caminhada: “Eu pensei que estivesse preparada para a trilha, porque eu estava perdendo peso, fazendo exercícios, mas eu deveria ter esperado mais um ano. Me senti superdevagar, e acabava fazendo meus amigos ter que esperar por mim.” Para a Deborah, foi importante estar com um grupo de amigos que já conhecia o parque, já que era a primeira visita dela a Yosemite.

“Como era estação de muita chuva, as cachoeiras estavam lindas. A paisagem é mágica e nós tivemos a chance de ver um urso. Eu quero voltar, lá, com certeza! Mas quero me preparar melhor e fazer o percurso em menos de nove horas” – diz a Deborah.

Deborah na trilha do Half Dome

Já a Sibilla Campoy visitou o parque três vezes: na primavera, no verão e no inverno, e nunca fez nenhuma trilha: “Tenho medo do que eu posso encontrar no caminho”. Mas ela encontrou outra atividade para conhecer um pouco mais do parque:

“Andei de bike pelo Yosemite Valley por mais ou menos 6 horas, nem percebi o tempo passar de tão maravilhoso que foi. Meu marido e eu acabamos nos perdendo e demoramos uma hora para achar onde estava parado o nosso carro, conseguimos achar com a ajuda de uma park ranger. A paisagem é maravilhosa. Uma das melhores vistas é a tunel view, que te dá a vista do vale com a famosa Half Dome”  – conta Sibilla.

Trilhas são marcadas por caminhos de árvores gigantes. Foto: Sibilla Mariano

Sibilla também conta que se perdeu porque não há acesso à internet no parque e, em muitos pontos, nem sinal de celular. Esse também é um motivos que faz ela procurar por hospedagem em cidades vizinhas e não dentro do parque:

Têm cabanas com água corrente dentro do parque por um preço bem acessível, se você fizer reserva com antecedência. Como nessas cabanas não tem wi-fi, então nunca tentei alugar uma, não consigo ficar sem internet.”

Durante o inverno, neva muito, e várias trilhas e estradas acabam sendo fechadas, então é sempre bom ficar de olho no site oficial do parque, pois eles atualizam esse tipo de informação. Quem pensa em visitar o parque durante algum feriadão, vale lembrar que geralmente tem uma fila gigante de carros para entrada. Então organiza a viagem com tempo, pra não dar correria.

Se você vai fazer alguma trilha, não esqueça de conferir o que levar e como levar comida e outros pertences na bolsa/mochila. Como o risco de encontrar um urso no meio do caminho é real, têm várias regras de como carregar os pertences que devem ser seguidas.

Tags : bikingfim de semanaGeralHalf DomeNational Parknaturezaneveo que fazerraftingsequoiatrilhaturismoYosemite
Fernanda Fell

The author Fernanda Fell

Jornalista. Apaixonada por uma boa história. Dinda de príncipe e princesa. Minha mãe diz que fui criada pro mundo. Passarinho solto. Estou descobrindo a liberdade que as minhas asas podem me dar.

1 Comment

Leave a Response